A “low cost” irlandesa optou por desistir da suposta “taxa de obesos”, apesar de garantir que foi preferida por 46% dos clientes consultados. Se a taxa fosse implementada, afirmam, a qualidade dos procedimentos de check-in e venda online seriam postos em causa.

Entretanto, a Ryanair revelou que em Abril obteve um crescimento de 12% de passageiros relativamente ao período homólogo de 2008, de 4.7 milhões de para 5.3 milhões passageiros.

A taxa de ocupação subiu de 79% para 82% comparando os dados de 2008 e 2009.

Fonte: Publituris, AFP