A EDAB, entidade gestora do projeto de desenvolvimento do aeroporto de Beja, custa 100 mil euros ao estado a cada mês que passa. A empresa, que deveria ter sido extinta a 31 de dezembro de 2011, acumula prejuízos há 9 meses.

A liquidação da empresa EDAB foi anunciada, mas ainda não concretizada. Segundo o Público, os atrasos “provocaram a acumulação de um prejuízo próximo de um milhão de euros, resultante de juros acumulados de um empréstimo contraído pela empresa junto da banca, para financiar o projecto aeroportuário”.

O presidente da administração da EDAB, José Queiroz, informou que foi realizado um empréstimo de oito milhões de euros “para suprir o corte de igual montante nas verbas do PIDDAC”, avança o jornal.