O Governo já tem em sua posse o relatório do grupo de trabalho que foi encarregue de estudar soluções para o aeroporto de Beja. A infraestrutura deverá ser potenciada numa lógica de desenvolvimento industrial, refere o estudo.

O relatório terá sido entregue na passada quinta-feira ao secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Silva Monteiro. Na opinião do grupo de estudo, o aeroporto deverá manter-se entre as infraestruras geridas pela ANA, procurando tráfego turístico. Contudo, fundamentam que a carga a indústria aeronáuticas deverão ser apostas de peso.

João Paulo Ramôa, que liderou o grupo de trabalho afirma; “O anterior [paradigma] assentava num aeroporto que tinha como base de sustentação de negócio os passageiros, o número de visitantes da região ligados a serviços e agora parece consensual para as forças vivas ouvidas que um ‘cluster’ mais industrial de ou determinados setores de atividade poderia fazer mais sentido para a rentabilização mais rápida da infraestrutura”.

A reconversão da infraestrutura de Beja ao tráfego civil previa o transporte de turistas para potenciar o emergente turismo na região alentejana (Alqueva). Ao longo da constituição do aeroporto foram realizados contactos com companhias low cost, que não chegaram a concretizar-se em operações. Desde abril 2011, o aeroporto tem recebido algumas operações charter. O pouco tráfego e o encerrar da EDAB levou o executivo a criar um grupo de trabalho que apresentasse novas soluções para o aeroporto.