A Ryanair cancelou 400 mil reservas de voos para o período de novembro a março. A operação de inverno 2018 terá menos 25 aeronaves ao serviço, de um total de 400. A imprensa fala em 34 rotas suspensas em toda a rede.
A companhia justifica a decisão no sentido dos seus passageiros não serem afetados por possíveis riscos operacionais. Já contactou os clientes afetados.

A medida vai afetar o crescimento da Ryanair. A companhia low cost tem vindo a receber novas aeronaves todos os meses, promovendo assim um aumento de tráfego todos.

O CEO da Ryanair, Michael O’Leary, justificou os cancelamentos de setembro a outubro com a necessidade de dar descanso ao seu “staff” de voo. Vários pilotos da companhia e suas agremiações já vieram a público dizer que os cancelamentos se devem à saída de um número considerável destes profissionais para outras companhias.